quarta-feira, 20 junho, 2018

Viamão esta nos planos de expansão da malha de gasodutos da Sulgás

Plano prevê o incremento da rede de distribuição de gás natural em mais de 620 quilômetros e a entrada em operação de 78,6 mil novos clientes no período.

 Com um forte plano de investimentos em infraestrutura e desenvolvimento do mercado de gás natural no Rio Grande do Sul, a Sulgás inicia neste mês de fevereiro a emissão de debêntures simples, com valor nominal unitário de R$ 1 mil, mediante investimento do BNDES e BNDESPAR. “Em 2013 iniciamos a estruturação dessa operação de crédito junto ao BNDES para a execução do plano de investimentos da Sulgás no período 2014-2018. Até então, todos os investimentos eram realizados com recursos próprios”, diz o diretor presidente da Sulgás, Roberto Tejadas. A proposta para o financiamento de mais de R$ 138 milhões foi aprovada pelo BNDES em dezembro de 2014.

“A operação trará enormes benefícios para a Companhia, pois viabiliza o financiamento de 50% de todo o portfólio de investimentos até 2018, incluindo o reembolso do que já foi realizado desde setembro de 2013”, explica Tejadas. Com a medida, 10 municípios gaúchos receberão investimentos da Sulgás, num período de tempo inferior ao que seria necessário caso a companhia permanecesse utilizando apenas recursos próprios. Os projetos financiados incluem a ampliação da malha de gasodutos em Porto Alegre, Cachoeirinha e Charqueadas, a comercialização em larga escala no mercado urbano de Canoas e Caxias do Sul, a chegada da rede de distribuição a Alvorada e Viamão, e a implantação de projetos estruturantes em Santa Cruz do Sul, Gramado e Canela.

O plano prevê o incremento da rede de distribuição de gás natural em mais de 620 quilômetros e a entrada em operação de 78,6 mil novos clientes no período. Hoje, são 20 mil pontos de consumo de gás natural no Estado.

Para 2015, a previsão de investimentos é de R$ 51 milhões, incluindo a construção de 128 quilômetros de rede de distribuição de gás natural, aportes em melhorias operacionais, na promoção de programas de desenvolvimento do mercado e na conversão de clientes para o uso do gás natural.

Texto: Janine Toma Ponte/Sulgás
Edição: Redação Palácio Piratini/Coordenação de Comunicação