sábado, 16 dezembro, 2017

RBS realiza reportagem sobre os vizinhos do Parque Eólico de Viamão

Fotos: Mateus Bruxel – Agencia RBS.

A reportagem de Aline Custódio, da Zero Hora e Diário Gaúcho, apresentou algumas famílias que moram ao lado do Complexo Eólico Pontal Enerplan, na Estrada da Pimenta. Os moradores eram acostumados com a paisagem repleta de pássaros silvestres, bois e cavalos nas pastagens. A região da Lagoa do Casamento, zona rural de Viamão, possui gigantes aerogeradores, que trabalham dia e noite. Em três hectares, são 25 torres e que, juntos, produzirão energia suficiente para abastecer 140 mil casas, ou cerca de 320 mil pessoas, mais do que toda a cidade de Viamão, que tem 240 mil habitantes. 




As torres, que possuem 145m de altura, estão ao lado de Luíza, uma das entrevistadas na reportagem, moradora há 18 anos na região. A comerciante Luíza Pereira Barbosa, de 52 anos, proprietária de um pequeno comércio nas margens da Estrada da Pimenta, fotografou todo o processo de montagem do complexo.  “Gosto de ver as torres. As luzinhas ficam brilhando. É muito lindo. Espero que, com o tempo, este lugar se torne um ponto turístico, pois ajudaria o comércio local”, comenta Luíza. 

A vizinha de Luiza, está mais próxima do parque, Célia Abreu Lopes, também 52 anos, é proprietária do camping Lagoa do Casamento. Ela acredita que a expansão será importante para a preservação do meio ambiente. “Não faz mal a ninguém. Pelo contrário, só ajuda a preservar. Gosto de levantar pela manhã, abrir a janela e olhar para eles funcionando. Não preciso mais da biruta para saber de qual lado está o vento. Eles me indicam”, conta. 

Célia lucrou durante as obras, alugando quartos do camping para biólogos, geólogos e outros profissionais. Célia vive desde a infância nas margens da Lagoa e acostumou-se ao Nordestão se arrastando por até 15 dias e à ventania arrancando árvores e telhados vizinhos. Não foi surpresa para ela a instalação do parque nesta área. “Sem luz, não podemos viver. Esta é a melhor forma de gerar energia e não prejudicar o mundo”, acredita. 

O marido, José Carlos de Abreu Fraga, de 46 anos, reclama do som produzido pelos aerogeradores. “Toda a vez que uma das pás passa pela torre, vem um som como se algo estivesse sendo cortado. E isso é durante as 24 horas. Ainda não acostumei”, revela José Carlos.  “Que nada! Depois da chuva, quando tudo fica calminho, é igual ao de uma onda quebrando no mar. Melhor som para relaxar. Me sinto mais próxima do oceano”, rebate Célia, encerrando o assunto.

Leia também: 

Investimento de R$ 330 milhões: Águas Claras inaugura o novo Complexo Eólico de Viamão

O Complexo Eólico Pontal Enerplan é dividido em três parques, com capacidade total de produção de 204,5 mil MWh por ano, e tem a estimativa de evitar a emissão de até 108.380 toneladas/ano de gás carbônico. A energia produzida no complexo será oferecida a 24 distribuidoras no país, sob coordenação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A implantação dos parques consumiu R$ 330 milhões em investimentos e contou com financiamento do BNDES e do Badesul. A expectativa da Enerplan é chegar a cinco parques, atingindo um investimento total de R$ 600 milhões. As linhas de transmissão possuem 44km construídos pela Enerplan, já prevendo a futura expansão do complexo. 




Confira a Reportagem completa do Diário Gaúcho: