sábado, 26 maio, 2018

Parceria garantirá mais de R$ 680 milhões para o tratamento de esgoto em Viamão e Alvorada




Rede esgoto a céu aberto na Rua Caciqui, em Viamão. Imagem de Ronaldo Bernardi/Agência RBS.

Na manhã desta terça-feira (24), o prefeito de Viamão, André Pacheco, esteve no Palácio Piratini para aderir à minuta do edital de licitação da parceria público-privada (PPP) para execução das obras de esgotamento sanitário. Junto a outros oito municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre, a obra de expansão de cobertura com coleta e tratamento de esgoto irá beneficiar 1,5 milhão de pessoas. Pacheco também assinou o aditivo do convênio de cooperação entre a Corsan. Serão investidos em Viamão e Alvorada R$ 683,2 milhões para a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e interligação de redes.

A partir da entrega da minuta, o documento será encaminhado à Unidade Executiva do Programa de Concessões e de Parcerias Público-Privadas da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão e à Procuradoria-Geral do Estado.  “Isso significa a redução de custos com a saúde pública, geração de renda enquanto acontecerem as obras e recuperação ambiental, em especial dos rios Sinos e Gravataí”, fala o governador do Estado, José Ivo Sartori. Além de Viamão, aderiram à parceria: Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Eldorado do Sul, Esteio, Gravataí, Guaíba, Sapucaia do Sul.

O plano de expansão do projeto é de 11 anos e a meta é chegar aos 87,3% de cobertura com coleta e tratamento de esgoto no município. “Isso só foi possível a partir da revisão do contrato de concessão de abastecimento de água e esgotamento sanitário com a Corsan, em 2015, quando a acionamos junto ao Ministério Público por constantes desabastecimentos consecutivos de água. Na época, foi possível fazer com que a Corsan fornecesse um desconto na conta de água do mês de dezembro a 40 mil pontos residenciais e comerciais como forma indenizatória aos transtornos causados à população pelos constantes interrompimentos de fornecimento de água tratada”, explica o prefeito de Viamão, André Pacheco.