domingo, 24 junho, 2018

Estratégia do Governo: Forças Armadas irão desobstruir estradas




Foto registrada no 5º dia de Greve Nacional dos Caminhoneiros. Fonte: Joice Santos.

O movimento grevista dos caminhoneiros está cada vez maior, segundo representantes dos movimentos espalhados no Brasil. Só no Rio Grande do Sul, são mais de 50 pontos com manifestações pacíficas acontecendo simultaneamente. No entanto, o governo acredita que encontrou uma estratégia para melhorar a situação e decidiu endurecer nesta sexta-feira (25), autorizando o uso das Forças Armadas para a desobstrução das estradas. O presidente Michel Temer faz um pronunciamento ainda no início da tarde para falar sobre a greve e fazer uma avaliação da situação.

A Polícia Federal vai investigar a possibilidade de locaute. Articulações do Governo querem mostrar para a população que há a participação dos patrões na paralisação dos caminhoneiros. A proposta pelo governo não foi aceita pela maioria dos manifestantes, que se dizem não representados. Há uma ampliação dos pontos de retenção das estradas e não a redução do movimento, como esperava o Governo Federal.

Segundo manifestantes localizados na ERS-040, não há um locaute. Uma tática empresarial de um setor para contribuir, incentivar ou orientar a paralisação de seus empregados. O próprio governo já avaliou que o Planalto subestimou a proporção da mobilização, sendo um possível erro do sistema de inteligência, que é comandado pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin).