quarta-feira, 20 junho, 2018

Corpo de motorista do Uber é encontrado em Viamão




 

Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil de Viamão encontrou o corpo do motorista do Uber desaparecido desde o dia 13 de abril, no bairro Valença. Douglas Rafael Aguiar, 32 anos foi localizado morto próximo às margens da ERS-118. Sua identificação só foi possível através das impressões digitais. O corpo foi encontrado por volta das 16h da última sexta-feira, (27).

Conforme a titular da Delegacia de Homicídios de Viamão, delegada Caroline Jacobs, devido ao estado de decomposição do corpo, não foi possível perceber em um primeiro momento se haviam marcas de violência. “O Departamento Médico Legal que poderá responder melhor estas questões, após os exames” afirma a delegada.

A Delegacia de Homicídios juntamente com o Canil de Busca e Salvamento da Companhia Especial de Salvamento dos Bombeiros de Viamão realizaram intensas buscas. “Os cães farejadores contribuíram nas buscas, inclusive no encontro do corpo” afirma.

O que é possível afirmar no momento é que Aguiar foi vítima de homicídio. O motorista não tinha antecedentes. A Polícia Civil ainda não localizou o automóvel, um Space Fox preto, e nem o telefone celular. 

Relembre o caso

O motorista de Uber Douglas Rafael Aguiar, 32 anos, foi visto pela última vez na sexta-feira (13), mas seus familiares só relataram o caso à policia no domingo (15).

O último local que o GPS do seu celular apontou foi uma rua do bairro Valença, em Viamão, onde Aguiar morava. Os policiais foram até a região, porém não o encontraram. Ele dirigia uma Spacefox preta. 

Às 17h50min de segunda-feira (16), a assessoria do Uber entrou informou que Douglas era cadastrado na plataforma, mas que no momento em que teria desaparecido não estava trabalhando para o aplicativo. Confira a nota na íntegra:

“A Uber informa que a última viagem realizada pelo motorista parceiro Douglas Rafael Aguiar utilizando o aplicativo foi concluída normalmente. Portanto, pelas informações disponíveis até o momento, seu desaparecimento não tem qualquer relação com o uso do aplicativo da Uber.”



Informações: Correio do Povo e GauchaZH