quarta-feira, 20 junho, 2018

Condição das Estradas das Lombas e Quilombo Gomes e Silva é notícia na GaúchaZH




Quando o ônibus da linha 410 atolou na Estrada das Lombas, na localidade de Capão da Porteira, a 45 quilômetros do centro de Viamão, por volta das 12h30min da sexta-feira passada (18), as cerca de 200 famílias da região sabiam que era o começo de mais um martírio que ocorre a cada nova chuvarada. Moradores da zona rural da cidade, eles ficam isolados durante quatro dias, quando a empresa Viamão suspendeu o trajeto total dos três horários diários – 6h30min, 12h30min e 18h30min – da única linha municipal. Nesta sexta-feira (21), o último horário de ônibus chegou a passar, mas os moradores seguem na incerteza sobre a situação. 

Se quiserem sair da região com transporte coletivo, as famílias das estradas Quilombo Gomes e Silva e das Lombas precisam caminhar até 8 quilômetros para chegarem ao ponto onde a linha ainda passa.

“Vínhamos avisando a prefeitura de que era necessária uma manutenção antes dos tempos de chuva, nos ignoraram.  Não aguentamos mais”, desabafou o presidente da Associação Quilombola Cantão das Lombas, Edson Abreu Silva, 40 anos.

Nesta segunda-feira (21), por falta de transporte, crianças e adolescentes da região deixaram de ir à Escola Municipal Cristiano Vieira da Silva, em Águas Claras, e à Escola Estadual de Ensino Médio Francisco Canquerini, na RS-040, em Capão da Porteira. O temor dos moradores é que o cancelamento da linha de ônibus prejudique os estudantes. 

Assunto antigo

Há mais de cinco anos, o Diário Gaúcho acompanha a situação dos moradores de Capão de Porteira. Apesar das pedras, crateras e areia, a manutenção das estradas costuma levar até seis meses na região. Quem depende destas vias enfrenta um desafio diário de cruzar os mais de 20 quilômetros de estrada de terra. Em mais de uma situação, as famílias já ficaram até dez dias sem conseguir deixar a localidade por falta de transporte público.

As estradas das Lombas e Quilombo Gomes e Silva não fazem parte das chamadas troncais, as cinco principais vias dentro da zona rural da cidade e que representam 300 quilômetros por onde passam ônibus e vans. Por isso, não têm uma agenda constante de manutenção. Ao contrário delas, as troncais passam por patrolamento, colocação de saibro e roçadeira periódicos. Ao todo, Viamão tem mais de 1,2 mil quilômetros de estradas rurais. 

Contatada pela reportagem, a empresa Viamão, responsável pela linha, disse que não responderia pela situação e sugeriu que fosse contatada a Empresa Pública de Trânsito de Viamão (EPTV), ligada à prefeitura. 

A assessoria de comunicação da prefeitura informa que a manutenção no local deve ocorrer nesta terça-feira (22)  pela manhã. Segundo a prefeitura “a demanda não foi sanada anteriormente devido à paralisação dos caminhoneiros, que interrompeu o tráfego no trecho próximo ao pedágio da RS-040, impedindo que qualquer caminhão passasse por ali”.